Views
2 months ago

JAGUAR MAGAZINE #07

  • Text
  • Jaguar
  • Revista
  • Wang
  • Arte
  • Villanelle
  • Portland
David Dandy e seu XK120 brilham no bairro criativo de Londres | Como a caridade In Place of War leva criatividade em zonas de conflito | Designer de interiores Joyce Wang conta sobre as últimas tendências de luxo | O ano de maior sucesso da Panasonic Jaguar Racing na Fórmula E | Conheça o novo diretor de design Julian Thomson

Refazendo história E

Refazendo história E por Equinox St James apresenta estruturas metálicas em contraste com o interior mais tradicional revestido de mármore do antigo banco “Eu não gosto quando dizem, ‘Seu trabalho é industrial chique’,” admite Wang. “Eu odeio. Não quero viver em um espaço industrial, mas quero aprender a usar o metal de uma forma que faz as pessoas se sintam confortáveis.” Superfícies duras surgem em grande parte do trabalho de Wang – sejam blocos de ardósia preta contra um mezanino metálico flutuante no Equinox St James em Londres, ou telas de ônix e um candelabro de corrente de metal, que estabeleceu o estilo no restaurante Mott 32 em Las Vegas. Mas Wang sempre faz seu trabalho com uma fluidez e leveza que o deixa interessante. Assim, a ardósia preta logo vira painéis de carvalho, e as telas de ônix da espaço para abajures de penas inspirados em dançarinas. Como é que Wang concilia dois estúdios em continentes diferentes, e uma infinidade de projetos? Viagens para Londres de Hong Kong ajudam, mas a comunicação é fundamental. “Os dois locais são conectados”, explica ela. “Fazemos viagens em equipe todos os anos e, enquanto dividimos os projetos, gosto da difusão de compartilhar ideias.” Suas viagens a inspiram de outras maneiras, também. Em Nova York, Wang vai para o Brooklyn para evitar o sistema de ruas de Manhattan e adora as perspectivas do High Line. Ela diz que Hong Kong tem a melhor comida de rua do mundo. Quando ela está no Reino Unido, Wang sempre visita algum local da National Trust (“você pode aprender muito ao visitar uma autêntica cozinha do século XVII”), mas é Londres que ganha o coração desta designer renomada mundialmente. “Trabalhar na cidade era um sonho para mim”, explica ela. “Mas quando o Mandarin Oriental Hyde Park nos chamou para um projeto, um dos requisitos era ter uma presença em Londres. Cinco anos depois e nos sentimos em casa. Eu estou conhecendo pessoas que fazem coisas incríveis, que trabalham com metal, ou são especializadas em pedra ou tecido. Há uma obsessão com coisas feitas a mão que não existe em Hong Kong. É uma vantagem para o nosso design. ” O papel do artesão é também muito importante no estúdio de Wang. As novas tecnologias permitiram que os designers fossem mais experimentais no uso de materiais tradicionais, que Wang acolhe com braços abertos. Ela faz referência ao artesão britânico Stuart Fox, que trabalha com acabamentos clássicos, como 36 / 5GXKUVC -CIWCT

Mundo de Wang Com o que você desenha? Caneta preta. Você gosta de trabalhar em um certo ambiente? Trabalho em todo lugar, mas gosto de estar com pessoas. Qual é a sua melhor hora do dia? Gosto da noite. É muito útil quando falo com o escritório de Londres. Você tem uma rotina de viagem? Eu tento não trabalhar em voos, ainda bem que é difícil ter Wi-Fi a bordo. Eu leio um livro, assisto filme ou durmo. Qual é a sua tecnologia mais útil? Meu iPhone. Como você relaxa? Eu tomo banho. Eu não uso muitos aromas e eu gosto de boas roupas de cama. Um bom tapete e roupão são importantes. Você tem uma viagem favorita? A viagem para Devon. A cerca natural é tão alta e adoro acelerar nas pistas estreitas. STANLEY CHENG (P. 33 & P37); JAMES MCDONALD (P. 38) v WOC CNGITKC GPEQPVTCT RGUUQCU SWG GUVQ CDGTVCU GZRGTKOGPVCQ espelho, mas transforma as superfícies simples em texturas atemporais, de outro mundo. Painéis de vidro curvados ou projetos com penas, como fez para o projeto do Mandarin Oriental, ele cria revestimentos novos que levam o luxo a um nível mais elevado. Ela também elogia o designer de iluminação Chris Cox, cujo trabalho inspirado na natureza em metais luxuosos, como ferro bronzeado e placa de prata antiga, fez parte de muitos projetos da Wang, incluindo um lustre delicado sob medida para um restaurante com tema em caligrafia japonesa. “É muito bom conhecer pessoas que estão abertas à experimentação”, ela diz. De acordo com Wang, o conceito de luxo está mudando. Onde era opulência e grandes proporções, agora é menos formalidade e maior intimidade. Também significa coisas diferentes para as pessoas em diferentes estágios da vida. Para Wang, mãe de três crianças pequenas, o luxo em sua própria casa não é definido pela elegância de um sofá mas por sua habilidade de criar o ambiente certo para uma pessoa. “Luxo em casa é momentos sozinha, ou com meu marido ou filhos”, explica ela. “É sobre as áreas onde podemos fazer as coisas bem, é assistir a um filme com meu marido e me sentir aconchegada, ou dar banho no meus filhos, enquanto vejo eles se divertirem.” No mundo de Wang, é tato e realismo da vida que obtêm os resultados mais felizes. Só porque algo é caro, não significa que é bom - ainda tem que justificar o seu valor. “Meu estúdio compreende o que deve ser caro e o que vale a pena”, explica ela. “É importante gastar dinheiro em coisas que você toca, de maçanetas a interruptores e cobertores. Essas coisas valem o dinheiro porque você pode apreciar a materialidade deles.” Igualmente, Wang é cautelosa ao gastar só por gastar, especialmente por causa dos problemas ambientais que tais indulgências têm frequentemente. Hoje em dia, ela » 5GXKUVC -CIWCT / 37

 

JAGUAR

JAGUAR MAGAZINE #07

 

A REVISTA JAGUAR celebra a criatividade em todas as suas formas, com características que inspiram emoção sensorial, do design sedutor até a tecnologia de ponta.

A edição mais recente apresenta algumas pessoas inspiradoras: de Luke Jennings, criador de Villanelle, uma das personagens mais interessantes dos últimos tempos, a Marcus Du Sautoy, que fala se a inteligência artificial está à beira de se tornar criativa. Na estrada, visitamos os EUA para explorar o paraíso gastronômico de Portland em um Jaguar I-PACE, levamos um Jaguar XE ao sul da França para uma visão de fotógrafo da charmosa cidade de Arles, e muito mais.

A biblioteca

JAGUAR MAGAZINE #07
THE JAGUAR 06
THE JAGUAR 05
THE JAGUAR 04
The Jaguar 03
The Jaguar 02
The Jaguar 01

Na cidade somos todos pedestres.

© JAGUAR LAND ROVER LIMITED 2016

Registered Office: Abbey Road, Whitley, Coventry CV3 4LF
Registered in England No: 1672070
Os números referentes ao consumo de combustível são resultado de testes oficiais do fabricante em acordo com as leis da UE, possuindo função puramente comparativa. O consumo efetivo de um veículo pode diferir dos alcançados em tais testes.