THE JAGUAR 06

  • Tecnologia
  • Sagmeister
  • Jaguar
Às vezes provocativo, sempre criativo: conheça o designer gráfico Stefan Sagmeister | Os artesãos de madeira britânicos trazem uma nova dimensão para uma habilidade antiga | Experimente as delícias da culinária do chef com estrelas Michelin Paul Pairet em Shanghai | Veja como Iris van Herpen está redefinindo a tecnologia da moda | Viaje no tempo para uma cidade futurista em Seoul

" GOSTO DA IDEIA DE ME

" GOSTO DA IDEIA DE ME DEDICAR A UM ÚNICO MATERIAL – MESMO QUE ESSE MATERIAL SEJA IMPIEDOSO” Acima: Esculturas de madeira etérica de Eleanor Lakelin. À direita: Sebastian Cox cria abajures de “cogumelo” exclusivos técnica de manejo, mas hoje o produto tem valor limitado. Então, ele criou uma coleção de peças modernas que têm qualidades naturais da avelã, combinando design de móveis de ponta e artesanato com um material que muitos só usariam como varas para plantação de ervilha. Foi seu trabalho com a poda rasa que levou Cox a um material bastante incomum. Em uma sala, sem janelas que é mais um local de armazenar produtos biológicos do que oficina para fazer armários, Cox faz abajures. Usando cogumelos. "Quando você faz a poda rasa, corta tudo", diz ele. "E há muito desperdício que só serve para queimar. Então nós lascamos, inoculamos com micélio e aí ela começa a crescer, comendo as lascas. Então podemos embalar em moldes. O resultado é um material com uma textura macia, como a camurça e aveludada que parece um pedaço de madeira torneada e tecido. É barato, leve e forte; Cox diz que seria um excelente substituto para a embalagem de poliestireno. Esta consciência das possibilidades de materiais e como usá-los é típica do trabalho de Cox, e de como esta nova geração de artistas e designers trabalham. Eles não são limitados a um material - em vez disso, eles assumem a tarefa de encontrar um uso para ele. A carreira de Lakelin como artista começou quando alguém lhe deu uma castanha-da-índia que agora ela usa sempre. "Eu era uma fabricante de armários", diz ela, "e eu sabia que cada árvore tem propriedades diferentes - mesmo da mesma espécie." Ela cortava a madeira e se apaixonou pela rebarba caótica que encontrou . "Eu gosto da ideia de me dedicar a um único material", diz ela, mesmo que esse material seja "impiedoso. Quebra facilmente e é difícil de trabalhar. Mas eu gosto.” “Leva meses” para fazer uma peça, é preciso tirar a casca e a madeira a cada milímetro com um torno mecânico, tirando FOTOS: ALUN CALLENDER, GLENLIVET, PETR KREJCI 34 THE JAGUAR

ARTESANATO as rebarbas. É um processo meticuloso; uma única técnica faz a diferença entre completar uma peça, ou estragá-la E para o designer/fabricante Tom Raffield, uma técnica definiu seu olhar: curvar a vapor. Como talhar, curvar a vapor tem vem da pré-história; a madeira é aquecida usando o vapor e curvada do jeito que quiser. Os abajures curvados de Raffield, e as linhas simples de seus móveis são influenciados pelo melhor design da metade do século. E a técnica de curvar a vapor estava fora de moda. "Eu acho que regrediu por causa da laminação", diz ele. "Mas a laminação é produzida em massa, usa muita cola e cria um monte de resíduos. Curvar a vapor tornou-se muito mais relevante no século XXI. "É a coisa mais viciante que eu já fiz. E as opções são ilimitadas. Tem poucas coisas que você não pode fazer. É uma maneira de transferir um desenho para a madeira, e isso reflete o fato de que não há linhas retas na natureza. " Para provar sua teoria, Raffield usou as cinzas do processo (um material que não é associado com a construção) em sua casa em Devon. O resultado é impressionante, o revestimento sinuoso que flui sobre a estrutura de pedra da casa de campo original do século XIX. Misturar tradicional e contemporâneo é uma característica do movimento artesanal vagamente definido. E, para Raffield, leva à criação das antiguidades do futuro, objetos que resistirão por séculos. "Queremos fazer peças atemporais que vão durar", diz Raffield. "É uma maneira de recordar como costumávamos comprar e usar produtos. Conseguimos consertar peças e desenvolver um relacionamento com os clientes como eles desenvolvem com o produto. Para nós, criar um objeto de alta qualidade é a coisa mais sustentável que existe. "

 

JAGUAR

JAGUAR MAGAZINE

 

A REVISTA JAGUAR celebra a criatividade em todas as suas formas, com características que inspiram emoção sensorial, do design sedutor até a tecnologia de ponta.

A edição mais recente apresenta algumas pessoas inspiradoras: de Luke Jennings, criador de Villanelle, uma das personagens mais interessantes dos últimos tempos, a Marcus Du Sautoy, que fala se a inteligência artificial está à beira de se tornar criativa. Na estrada, visitamos os EUA para explorar o paraíso gastronômico de Portland em um Jaguar I-PACE, levamos um Jaguar XE ao sul da França para uma visão de fotógrafo da charmosa cidade de Arles, e muito mais.

A biblioteca

JAGUAR MAGAZINE #07
THE JAGUAR 06
THE JAGUAR 05
THE JAGUAR 04
The Jaguar 03
The Jaguar 02
The Jaguar 01

Na cidade somos todos pedestres.

© JAGUAR LAND ROVER LIMITED 2020

Registered Office: Abbey Road, Whitley, Coventry CV3 4LF
Registered in England No: 1672070
Os números referentes ao consumo de combustível são resultado de testes oficiais do fabricante em acordo com as leis da UE, possuindo função puramente comparativa. O consumo efetivo de um veículo pode diferir dos alcançados em tais testes.