The Jaguar 01

  • Jaguar
  • Carro
  • Anos
  • Corrida
  • Apenas
  • Ainda
  • Carros
  • Cidade
  • Nova
  • Corridas
Neste número, voltamos ao automobilismo de alto nível de uma forma pouco convencional e aceleramos o desenvolvimento de trens de força elétricos. Além disso, apresentamos o veículo Jaguar I-PACE Concept - um novo modelo revolucionário, já disponível para reserva, para entrega em 2018.

FORMULA MARKE E 36 THE

FORMULA MARKE E 36 THE JAGUAR

FORMULA E FOTOS: SPACESUIT, LAT EQUIPE POR EQUIPE OS PILOTOS PANASONIC JAGUAR RACING Adam Carroll (26/10/82) Nascido na Irlanda do Norte, Adam Carroll, 34 anos, traz vasta experiência à equipe, incluindo suas funções como testador de F1 para a BAR- Honda. Adam também competiu em carros da Fórmula Indy e da DTM e venceu nada menos que cinco corridas na série GP2, que alimenta a F1, além de ser o vencedor da A1GP de 2009. Mitch Evans (24/6/94) é o protegido da lenda da F1 Mark Webber. Hoje, com 22 anos, o piloto começou cedo, com apenas seis anos, nas corridas de karts na Nova Zelândia, sua terra natal. Com apenas 16 anos, venceu o Grande Prêmio da Nova Zelândia e conquistou o título GP3 apenas dois anos mais tarde. Ele também competiu e venceu na GP2. ABT SCHAEFFLER AUDI SPORT Lucas di Grassi (11/08/84) Brasileiro Daniel Abt (3/12/92) Alemão MS AMLIN ANDRETTI Robin Frijns (7/8/91) Holandês António Felix da Costa (31/8/91) Português DS VIRGIN RACING Sam Bird (9/1/87) Inglês José Maria López( 26/4/83) Argentino FARADAY FUTURE DRAGON RACING Jérôme D’Ambrosio (27/12/85) Belga Loïc Duval (12/6/82) Francês MAHINDRA RACING Nick Heidfeld (10/5/77) Alemão Felix Rosenqvist (7/11/91) Sueco NEXTEV NIO Nelson Piquet Jr ( 25/7/85) Brasileiro Oliver Turvey (1/4/87) Inglês RENAULT E.DAMS Nico Prost (18/8/81) Francês Sébastien Buemi (31/10/88) Suíço TECHEETAH Jean-Éric Vergne (25/04/1990) Francês Ma Qing Hua (25/12/87) Chinês VENTURI Stephane Sarrazin (2/11/75) Francês Maro Engel (27/8/85) Alemão O mais jovem corredor da Jaguar, Mitch Evans (à esquerda), já se revelou um sucesso no #fanboost alcançar 96 km/h em até 3 segundos, o que faz dele tão rápido quanto os mais velozes hiper-carros do mundo. Para montar e conduzir o campeonato e para manter o nível dos custos, todas as 10 equipes usaram exatamente o mesmo carro na Primeira Temporada. Daí a competitividade imediata da série. Na Segunda Temporada, a Fórmula E iniciou a jornada que a levaria a se tornar um campeonato aberto, permitindo aos fabricantes desenvolver qualquer coisa que ficasse para trás da bateria: motor, caixa de câmbio, conversor de bateria e até mesmo suspensão traseira. Em Beijing, em 2015, prontos para a Segunda Temporada, os carros e.Dams da Renault tinham um visual arrojado, e foi Buemi quem dominou a corrida. Ele se tornou o primeiro piloto de Fórmula E a levar para casa o número de pontos máximo, tomando a pole position, marcando a volta mais rápida e vencendo a corrida. Parecia que a competitividade da Fórmula E que nós adorávamos chegava ao fim. Infelizmente para Buemi, não era o caso. Na corrida final em Londres, oito meses mais tarde, Buemi e seu velho rival Lucas di Grassi estavam empatados em pontos. As luzes foram acesas, mas, quando os dois carros aceleravam em direção à terceira curva, di Grassi freou tarde demais e bateu na traseira de Buemi. Foi aí que a coisa ficou estranha. Até que as baterias da próxima geração, de maior capacidade, sejam lançadas na Quinta Temporada, cada piloto conta com dois carros e ambos trocam de carro no meio da corrida. Após o acidente, tanto Buemi quanto di Grassi conseguiram se deslocar até os boxes e pegar o segundo carro. Entretanto, nenhum piloto conseguiria vencer a corrida com apenas um carro, e portanto o campeonato se transformou em uma corrida contra o relógio – quem conseguiria fazer a volta mais rápida e obter os dois pontos adicionais? Após esperar nos boxes por uma pista limpa, Buemi se sobressaiu, levando tanto o título de piloto como o da equipe. A Terceira Temporada se iniciou em Hong Kong, em outubro; o circuito deve ter sido um dos locais mais fascinantes na história das corridas, estendendo-se ao longo do Porto Central e passando por pontos como o Central Star Ferry Pier e a prefeitura. A partir daí, seguiu para Marrakesh (eu já mencionei que visitamos as cidades mais legais do mundo?). A Terceira Temporada se inicia em fevereiro, em Buenos Aires. Eu adoro as corridas e mal posso esperar para voltar às pistas, mas não vamos esquecer a verdadeira missão da Fórmula E: redefinir a imagem, desenvolver a tecnologia e disseminar ainda mais o uso dos carros elétricos. E, com efeito, os carros elétricos são o centro do desenvolvimento de novos carros e a sua venda cresce exponencialmente; as vendas globais acumuladas de veículos com conexão elétrica ultrapassaram a marca de 1,5 milhões em maio de 2016. A Jaguar deixou claro, ao anunciar sua entrada, que o programa de corridas deveria orientar o desenvolvimento de seus carros elétricos de estrada, mas creio que ninguém tenha imaginado que isso aconteceria tão depressa. A revelação do conceito do I-PACE, entretanto, confirmou o que todos nós pensamos naquele dia dramático de Beijing em 2014 – que a Fórmula E tem o poder não só de eletrizar seus fãs, mas também de mudar para sempre o modo como pensamos sobre carros. THE JAGUAR 37

 

JAGUAR

JAGUAR MAGAZINE

 

A REVISTA JAGUAR celebra a criatividade em todas as suas formas, com características que inspiram emoção sensorial, do design sedutor até a tecnologia de ponta.

A edição mais recente apresenta algumas pessoas inspiradoras: de Luke Jennings, criador de Villanelle, uma das personagens mais interessantes dos últimos tempos, a Marcus Du Sautoy, que fala se a inteligência artificial está à beira de se tornar criativa. Na estrada, visitamos os EUA para explorar o paraíso gastronômico de Portland em um Jaguar I-PACE, levamos um Jaguar XE ao sul da França para uma visão de fotógrafo da charmosa cidade de Arles, e muito mais.

Na cidade somos todos pedestres.

© JAGUAR LAND ROVER LIMITED 2020

Registered Office: Abbey Road, Whitley, Coventry CV3 4LF
Registered in England No: 1672070
Os números referentes ao consumo de combustível são resultado de testes oficiais do fabricante em acordo com as leis da UE, possuindo função puramente comparativa. O consumo efetivo de um veículo pode diferir dos alcançados em tais testes.