THE JAGUAR 04

  • Jaguar
  • Carro
  • Anos
  • Carga
  • Autonomia
  • Desempenho
  • Mundo
  • Tecnologia
  • Tudo
  • Arte
Uma incrível viagem à bordo do elétrico Jaguar I-PACE em Portugal | Entrevistas exclusivas sobre a criação do revolucionário I-PACE | Reinventando um clássico: E-TYPE Concept Zero | Os 50 anos do icônico sedã Jaguar XJ | Uma entrevista exclusiva com a estrala do tênis Johanna Konta | Os computadores são capazes de revolucionar a arte ?

JAGUAR

JAGUAR XJ: 50 ANOS DE UM ÍCONE 1968 SÉRIE 1 O ano de 1968 foi um período de mudanças políticas e sociais, no qual pessoas do mundo todo buscaram maior liberdade de ação e de pensamento, aspiração da qual os Beatles fizeram uma boa síntese cultural no “Álbum Branco”, disco duplo que incluía canções instigantes como Revolution 1 e While My Guitar Gently Weeps. As músicas, compostas num retiro indiano de meditação transcendental, e o modo de vida hippie dos músicos tornaram-se o estilo característico de toda uma geração e se traduziram nas cores psicodélicas e nas formas orgânicas de tudo, desde o design de móveis até a arte contemporânea. Enquanto isso, no fim dos anos 1960, a Jaguar fazia sua própria revolução com o lançamento do XJ Série 1. A forma do XJ foi mais uma obra-prima de Sir William Lyons, e o trabalho realizado no desenvolvimento pelo engenheiro-chefe de veículos da Jaguar, Bob Knight, definiu novos padrões de viagem e requinte. Assim, a excelente execução da engenharia e das proporções do XJ Série 1 de 1968 era perfeita para sua clientela igualmente bem-sucedida e avançada (mas provavelmente menos cabeluda). Poucos anos depois, a partir de 1972, um motor V12 de 5,3 litros foi oferecido no modelo seguinte, o XJ12. Este último foi a suprema realização de Lyons; agora, a Jaguar podia dizer que tinha o carro de produção de quatro lugares mais rápido do mundo, com velocidade máxima de quase 225 km/h. 72 THE JAGUAR

FOTOS: GETTY IMAGES/MIMI HADDON; JOHN PRATT/KEYSTONE/GETTY IMAGES; DOUG WILSON/CORBIS/CORBIS VIA GETTY IMAGES; MARK MADEO/FUTURE PUBLISHING VIA GETTY IMAGES “UMA ATRAENTE VERSÃO COUPÉ DE DUAS PORTAS COMEÇOU A SER VENDIDA EM 1975 E, DESDE ENTÃO, VIROU ITEM DE COLECIONADOR.” 1973 SÉRIE 2 O aumento do rigor dos regulamentos de segurança em colisões nos Estados Unidos influenciou o desenvolvimento do Série 2, lançado em setembro de 1973. Para cumpri-los, foi concebido um para-choque dianteiro mais alto, e as luzes indicadoras menores na cor laranja, posicionadas abaixo dele, diferenciam claramente o Série 2 do Série 1 para quem olha de frente. No entanto, a maior mudança foi feita no interior, totalmente reformulado. Uma atraente versão coupé de duas portas começou a ser vendida em 1975 e, desde então, virou item de colecionador entre fãs da Jaguar devido a seu perfil ligeiramente mais esportivo e à simplicidade da parte externa. Naquele mesmo ano, uma nova empresa de tecnologia chamada Microsoft era fundada por Bill Gates, na época com 19 anos, e Paul Allen, e lançava seu primeiro software de computador, o Altair BASIC. Grandes acontecimentos viriam depois... THE JAGUAR 73

 

JAGUAR

JAGUAR MAGAZINE

 

A REVISTA JAGUAR celebra a criatividade em todas as suas formas, com características que inspiram emoção sensorial, do design sedutor até a tecnologia de ponta.

A edição mais recente apresenta algumas pessoas inspiradoras: de Luke Jennings, criador de Villanelle, uma das personagens mais interessantes dos últimos tempos, a Marcus Du Sautoy, que fala se a inteligência artificial está à beira de se tornar criativa. Na estrada, visitamos os EUA para explorar o paraíso gastronômico de Portland em um Jaguar I-PACE, levamos um Jaguar XE ao sul da França para uma visão de fotógrafo da charmosa cidade de Arles, e muito mais.

Na cidade somos todos pedestres.

© JAGUAR LAND ROVER LIMITED 2020

Registered Office: Abbey Road, Whitley, Coventry CV3 4LF
Registered in England No: 1672070
Os números referentes ao consumo de combustível são resultado de testes oficiais do fabricante em acordo com as leis da UE, possuindo função puramente comparativa. O consumo efetivo de um veículo pode diferir dos alcançados em tais testes.