THE JAGUAR 05

  • Jaguar
  • Carro
  • Corridas
  • Carros
  • Corrida
  • Mundo
  • Anos
  • Motor
  • Velocidade
  • Desempenho
Descubra um lado diferente de Eva Green | Será possível que seu próximo taxi seja um Jaguar I-PACE autônomo? | O que é preciso para quebrar um recorde em uma volta no lendário circuito Nürburgring Nordschleife | Nossos “petrolheads” competindo na nova série de corridas 100% elétricas da Jaguar | Conheça os detalhes das mais recentes edições especiais dos modelos XE e XF: o 300 SPORT

RECORDISTAS O veterano

RECORDISTAS O veterano piloto Peter Dredge espera a névoa se dissipar antes de sua tentativa de recorde no lago Coniston Water. FOTOS: ALEX PUCZYNIEC, MALCOLM CREASE 66 THE JAGUAR

Em um dia limpo, Coniston Water é um dos lugares mais belos de toda a Inglaterra. Aninhado no coração da Cúmbria, região popularmente conhecida como Distrito dos Lagos, este grande lago atrai muitos turistas no verão. Mas hoje não é um dia limpo. Sim, é cedo o suficiente para ainda se estar acalentando bons sonhos (de café, principalmente), mas a cerração que cobre o lago é forte o bastante para deixar as duas dezenas de pessoas ao meu redor com a cara meio fechada. Não se trata de turistas; até os mais ávidos viajantes ainda estão na cama, sensatamente. Mas, se a capacidade de foco e ação rápida dessa gente não é prova suficiente de que são profissionais especializados, chega um Jaguar F-PACE rebocando um grande objeto coberto por uma lona, e o murmúrio aumenta imediatamente. Essa equipe tem uma missão; no cerne dela está o objeto sob a lona, que por fim é revelado: uma elegante embarcação, a Jaguar Vector Racing V20E. E, mais especificamente, o que está sob sua carcaça: uma enorme e potente bateria que utiliza tecnologia da Fórmula E. A meta de hoje parece simples, mas não é: bater o recorde mundial de velocidade de embarcação elétrica, que há uma década se mantém em 123,6 km/h. Pode parecer um valor relativamente baixo – afinal, estamos acostumados às velocidades das rodovias, sem mencionar as corridas de Fórmula 1 a que assistimos no conforto de nosso sofá –, mas, dada a natureza do sistema de propulsão e a superfície sobre a qual se está correndo, a tarefa em questão esconde uma série de desafios específicos a superar. É aí que a coisa fica interessante nesta tentativa de recorde mundial, pois desafiar limites está no DNA da Jaguar e de suas parceiras, a Vector Racing e a Williams Advanced Engineering. A Jaguar já está bem na vanguarda da tecnologia de eletrificação com uma missão clara: “Race to Innovate” (Correr para Inovar) na pista e na água. Assim, o segredo seria transferir para lanchas a motor a tecnologia de carros de corrida usada na Fórmula E com a Panasonic Jaguar Racing. “As corridas elétricas são relativamente incipientes, mesmo no mundo automobilístico, e a versão náutica delas é quase inexplorada”, explicou Malcolm Crease, CEO da Vector. “Por isso, todas as três parceiras queriam realmente transpor os limites do desempenho nessa área.” Depois que, em meados de 2017, foi tomada a decisão de se comprometerem a bater o recorde mundial de velocidade náutica com propulsão elétrica, os preparativos e testes começaram e prosseguiram por mais de oito meses, sendo que a natureza pioneira da atividade levou inevitavelmente a diversas tentativas e erros. “Tivemos de começar do zero, desde a formulação do tipo e tamanho da lancha, até os custos, pesos e potências dos vários componentes”, disse Peter Dredge, diretor técnico da Vector e veterano piloto náutico. ÁGUAS CALMAS, MAS PROFUNDAS Quinto maior lago de Inglaterra, o Coniston Water é longo – oito quilômetros de comprimento por 800 metros de largura – e calmo, o que o torna perfeito para percursos de velocidade em que as embarcações de corrida precisam do máximo de espaço possível para ganhar e perder velocidade, dar meia-volta e fazer outro percurso. É por isso que ele recebe um evento anual de múltiplas classes náuticas, a Coniston Powerboat Records Week, geralmente em novembro. A conquista do recorde mundial de velocidade náutica com propulsão elétrica pela Jaguar Vector Racing no Coniston Water é bem apropriada, já que o lago está familiarizado com essas proezas. Foi lá que o lendário Sir Malcolm Campbell bateu o primeiro recorde mundial de velocidade náutica (em uma embarcação com motor a combustível), quando atingiu a velocidade de 227 km/h, em 1939. Nos anos 50, seu filho Donald estabeleceu quatro recordes sucessivos no lago com o emblemático hidroavião Bluebird K7. Infelizmente, Donald Campbell morreu em 1967, quando perdeu o controle de sua embarcação ao superar a incrível marca de 515 km/h. Os destroços só foram retirados do fundo do lago em 2001. THE JAGUAR 67

 

JAGUAR

JAGUAR MAGAZINE

 

A REVISTA JAGUAR celebra a criatividade em todas as suas formas, com características que inspiram emoção sensorial, do design sedutor até a tecnologia de ponta.

A edição mais recente apresenta algumas pessoas inspiradoras: de Luke Jennings, criador de Villanelle, uma das personagens mais interessantes dos últimos tempos, a Marcus Du Sautoy, que fala se a inteligência artificial está à beira de se tornar criativa. Na estrada, visitamos os EUA para explorar o paraíso gastronômico de Portland em um Jaguar I-PACE, levamos um Jaguar XE ao sul da França para uma visão de fotógrafo da charmosa cidade de Arles, e muito mais.

Na cidade somos todos pedestres.

© JAGUAR LAND ROVER LIMITED 2020

Registered Office: Abbey Road, Whitley, Coventry CV3 4LF
Registered in England No: 1672070
Os números referentes ao consumo de combustível são resultado de testes oficiais do fabricante em acordo com as leis da UE, possuindo função puramente comparativa. O consumo efetivo de um veículo pode diferir dos alcançados em tais testes.